Alexandre de Moraes aplica multa de R$ 100 mil por hora contra manifestantes mineiros – Maranhão Hoje – MARANHÃO Hoje- Notícias, Esportes, Jogos ao vivo e mais


Ministro manda tirar manifestantes de quartel em BH

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) impôs uma multa de R$ 100 mil por hora em caso de descumprimento da decisão de suspensão de um acampamento de manifestantes, em Belo Horizonte (MG), contra o resultado das eleições. O ministro acatou neste sábado (07) pedido de desobstrução da Avenida Raja Gagablia, na região Oeste da capital mineira, que estava ocupada por pessoas que questionam o resultado das urnas em 30 de outubro.

O prefeito de BH, Fuad Noman (PSD), fez o pedido por meio da Procuradoria-Geral do Município, depois que o juiz Wauner Batista Ferreira Machado considerou a ocupação regular e permitiu, por meio de liminar, a permanência dos manifestos em frente ao quartel da 4ª região.

“Defiro o requerimento do município de Belo Horizonte, para cassar a decisão judicial e determinar a imediata desobstrução da Avenida Raja Gabaglia, e das áreas no seu entorno, especialmente junto a instalações militares, bem como reiterar a determinação para que todos os veículos sejam identificados e que seja aplicada a multa horária de R$ 100.000,00 (cem mil reais) prevista na decisão de 31/10/2022 (doc. 2769) aos proprietários dos veículos, bem como às pessoas que incorrem no descumprimento da decisão mediante apoio material (logístico e financeiro) às pessoas e veículos que permanecem em locais públicos”, diz Moreas no despacho.

Pelo valor arbitrado por Moraes, ao final de 24 horas cada um dos multados estará devendo uma fortuna de R$ 2,4 milhões e a depender de quantos dias continuar a rebeldia atingir uma soma impagável.

Considerados líderes do movimento, Esdras Jonatas dos Santos e Roberto Carlos de Abreu foram multados em R$ 100 mil por descumprimento de decisão anterior.

“Determino a imposição de multa no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais), aos indivíduos identificados como Esdras Jonatas dos Santos e Roberto Carlos de Abreu”, diz o texto.

Na sexta-feira (6), uma operação da Guarda Municipal de Belo Horizonte desmontou os acampamentos bolsonaristas da frente do quartel. Houve confusão e jornalistas foram agredidos por manifestantes, sem que houvesse reação da Polícia Militar. 

Os apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), derrotado nas eleições, estão no acampamento desde 30 de outubro de 2022, contabilizando 69 dias após o resultado do pleito que consagrou Luiz Inácio Lula da Silva presidente do Brasil.

Cenas filmadas mostram jornalistas sendo agredidos no local das manifestações. Veja:

https://tv.uol/19sJs

(Com informações da Band)

Admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *