Aluguel da Ilha de Curupu para temporada pode estimular turismo em São Luís, diz membro da Família Sarney à Band | Maranhão Hoje – MARANHÃO Hoje- Notícias, Esportes, Jogos ao vivo e mais


Temporada mínima e de três dias

Um integrante da família Sarney, que teria pedido anonimato, informou à Band que um dos objetivos da disponibilização da mansão da família na Ilha de Cururupu, para aluguel por temporada, é estimular o turismo em São  ilha. A ilha paradisíaca pertence à família do ex-presidente José Sarney,  e está disponível para locação por R$ 15 mil a diária.

Também conhecida como “Ilha do Sarney”, Curupu, na verdade, é fruto de uma herança da família Macieira, já que pertencia ao médico Carlos Macieira, pai de Dona Marly, esposa do ex-presidente, é era local de veraneio das duas famílias e amigos mais próximos.

À Band, o ex-deputado e hoje presidente da Agência Nacional de Mobilidade Urbana (MOB), Adriano Sarney, neto de José Sarney e filho do ex-deputado federal José Sarney Filho, confirmou a destinação do imóvel para locação.

A pedido do próprio Adriano Sarney, a Band entrou em contato com a pessoa responsável pelo projeto para perguntar sobre preços e quais despesas são cobertas pelos valores pagos.

De acordo com o apurado pela emissora, o interessado precisa alugar a casa por um período mínimo de três dias, o que eleva o custo para R$ 45 mil.

Esse valor cobre café da manhã, almoço, jantar, gerador de energia abastecido, barco de ida e volta e limpeza antes, durante e depois da hospedagem.

Se o interessado desejar, são disponibilizados outros serviços: quadriciclo, jet-ski, fazer passeios especiais. O anúncio do aluguel reforça que a ilha é 100% privativa. A mansão disponível possui nove suítes e um quarto, além de 10 camas de casal e 15 de solteiro, mais áreas em comum e uma piscina.

Anúncio do aluguel da “Ilha do Sarney”

A ilha – Com cerca de 2 mil hectares, a ilha possui densas florestas de manguezais preservados e praias desertas. O local também serve de refúgio para aves migratórias e espécies aquáticas como o boto-cinza e peixe-boi.

De acordo com o integrante da família Sarney ouvido pela Band, o projeto é experimental, tanto que os valores podem ser revistos com o passar do tempo. O objetivo é mergulhar os visitantes no que chamou de “turismo imersivo”.

“A nossa aposta é no turismo imersivo, em que a pessoa quer passar u tempo em contato com a natureza. Será um conforto e sofisticação mínima que a pessoa merece. Quanto aos eventos pontuais, às vezes, uma empresa quer fazer um evento de final de ano, além de eventos esportivos náuticos e de areia”, explicou um parente de Sarney ouvido.

Conforme apuração da Band, a família quer fortalecer o turismo na Grande São Luís para fazer com que o turista que viaja ao Maranhão com destino aos Lençóis Maranhenses também fique na região da capital. Como a ilha não é usada o ano inteiro, a família optou por alugá-la para “preencher a

O acesso à ilha é somente por barco, que parte de um cais localizado na cidade de Raposa, localizado na Ilha de São Luís. O deslocamento dura em torno de 1 hora, e as condições de navegabilidade dependem da maré, já que o estado possui uma das maiores variações do mundo.

Quando ainda era presidente, Sarney costumava se refugiar na ilha. Na véspera do Natal de 1987, os olhos do país se voltaram ao local, pois o político o escolheu para celebrar a data. Militares das Forças Armadas faziam o patrulhamento da região para garantir a segurança do então gestor.

Admin